• Home
  • |
  • Sobre a Autora
  • |
  • Livros
  • |
  • Vídeos
  • |
  • Agenda
  • |
  • Parceiros
  • |
  • Contato
  • Louco por você - Capitulo 29



    Entreguei a conta do último cliente no café, e enquanto Ellen fechava o caixa, passei a organizar o salão. Como sempre, meus pensamentos estavam na dança e em Liam.
     A cada dia que a competição se aproximava, mais nervosa eu ficava. Liam dizia que eu precisava relaxar e encarar aquilo como uma diversão. No fundo, sabia que ele tinha razão, mas a maior parte da tensão que me dominava era a forma que nos aproximávamos mais, como amigos.
    Era difícil controlar algumas reações de meu corpo, quando ele segurava minha nuca para executarmos um passo mais sensual ou quando agarrava minhas pernas em um mais elaborado, e quando agarrava minha bunda para me levantar no ar, aí sim eu perdia o controle.
    Que mulher em sã consciência resistiria a um homem atraente e sexy como o diabo que nem ele?
    Eu era uma simples mortal. Também não ajudava que houvesse me beijado intensa e apaixonadamente duas vezes durante a pausa dos ensaios e pedido desculpas depois.
    Andávamos em uma linha tênue de desejo sexual reprimido e medo de destruir a camaradagem que tínhamos construído ao longo dos dias. Eu gostava de dançar com Liam, era o momento de mais intimidade que conseguíamos ter, mas também gostava dos momentos de descontração e diversão quando visitávamos apartamentos.
    — Até amanhã, garotas — Loretta saiu da cozinha com seu ajudante, e Ellen e eu ficamos encarregadas de fechar tudo.

    — Você se importa se te deixar na mão hoje? — Ellen trancou o caixa e me lançou um olhar suplicante.
    — Noah?
    Ela ficou vermelha e circulou o balcão.
    — Os pais dele farão uma visita hoje. Prometi que faria companhia. Parece que eles são meio que sufocantes.
    Eu o visitei duas vezes depois que saiu do hospital. Também nutria uma certa culpa pelo que aconteceu, mas embora Noah tivesse a perna engessada e certa dificuldade em se locomover, não me pareceu tão frágil e que requeresse tanto cuidado, como dava a entender para Ellen.
    — Pode deixar que eu me viro — garanti — Ainda falta uma hora para Liam aparecer.
    — Falando nisso, como andam as coisas? — perguntou, antes de seguir para o vestiário — Ainda dançando valsa?
    — Dançando valsa?
    — Dois para lá, dois para cá — foi dançando até a porta — Avançam e recuam. Tome a iniciativa. Mostre um tango para ele.
    Fui colocando as cadeiras sobre as mesas, refletindo sobre o que Ellen tinha falado. O tango era uma dança íntima e sensual.
    Sorri, com dezenas de ideias em minha cabeça.
    —  Ellen, você é a melhor amiga do mundo —  elogiei quando ela passou por mim, em um elegante vestido preto — E muito sábia, também. Obrigada.
    — Apenas deseje-me sorte.
    — Pise na merda — disse, em um tom musical, era minha analogia de “boa sorte” usada no teatro — A perna, o Noah já quebrou.
    — Obrigada — ela piscou para mim —   Feliz aniversário de novo. Temos que comemorar isso depois.
    Ela saiu rindo. Minha missão em deixá-la menos nervosa tinha sido alcançada.
    Faltavam dez minutos do horário do ensaio, quando meu smartphone tocou.
    — Liam?
    — Oi, Julienne. Desculpe o atraso. Bem, na verdade, eu cometi um engano.
    — Aconteceu alguma coisa?
    — Eu prometi a Eva... Você se lembra dela, não é?
    Eva era a mãe da garotinha cega que tinha vindo ao Let’s uma vez. Lembro perfeitamente das duas.
    — Claro.
    — Deve se lembrar também do admirador não tão secreto assim — ele riu, antes de continuar: — Bom, de alguma forma, Melanie a convenceu a sair para jantar e, bom, como eu tinha prometido...
    — Ficará de babá.
    Eu acho muito gentil da parte dele cumprir a promessa, mas, por outro lado, não consigo parar de me sentir decepcionada por só poder vê-lo no dia seguinte. Ainda mais hoje. Meu primeiro aniversário longe da minha família.
    — Eu entendo, Liam.
    Não é a primeira vez que tivemos que desmarcar. Houve cirurgias de última hora. Uma vez recebi a visita inesperada de Clyde e outra de James. Disseram que era a negócio, mas no fundo eu sabia que estavam verificando como estava me virando sozinha.
    — Na verdade, eu pensei que, se não for problema —  ele parecia hesitante — Achei que poderíamos ensaiar aqui. Foi ideia da Melanie, na verdade, mas se...
    — Eu acho uma excelente ideia — interrompi, voltando a ficar animada — Apenas passe o endereço.  
     Como não conhecia bem a região, decidi pegar um táxi. Apesar de querer bancar a gasolina, Emily só permitia que pagasse metade, então eu tinha economizado bastante em condução, para fazer essa extravagância.
    Cerca de quase uma hora depois, estava em frente ao prédio que Liam tinha informado. Duas adolescentes saíam do prédio, deixando a porta aberta para que eu entrasse.
    Um gesto nada inteligente em relação à segurança, mas estavam entretidas demais em seus celulares para darem conta disso.
    Cheguei ao apartamento de Eva, estava prestes a tocar a campainha quando notei a porta entreaberta. Ouvi os sussurros de Liam e Melanie e os procurei, abrindo mais a fresta da porta.
    Eles estavam no chão, sobre o tapete, rodeados de objetos e comida. No entanto, o que mais me chamou atenção foi ver Liam com os olhos vendados.
    — Agora é a sua vez — a menina procurou algo no chão, encontrando um vidro de esmalte —  O que acha que é?
    Entrei nas pontas dos pés, fechei a porta atrás de mim e apoiei-me contra ela, observando os dois em silêncio.
    Liam tateou o objeto. Estava graciosamente sério e concentrado.
    — É um batom.
    — Errado — soltei, levando as mãos apressadamente até a boca.
    — Julienne?
    Ele ergueu a venda que cobria seus olhos e piscou algumas vezes, até me encontrar. Fui pega em flagrante e nem havia para onde fugir.
    — Desculpe, a porta estava aberta.
    — Queria ouvir quando você chegasse — me brindou com um dos seus sorrisos perfeitos e se levantou — Nós estávamos fazendo um dos exercícios de Melanie, enquanto esperávamos você chegar.
    — Você quer treinar com a gente? — ela também ficou em pé, buscando a mão dele — Pode ficar no lugar da mamãe, porque o Liam rouba.
    Com a faixa amarrada na cabeça, ele me fazia lembrar de Daniel San, em Karate Kid, claro que sem o quimono e incomparavelmente mais bonito, principalmente quando sorria como um garotinho fazendo arte.
    — Eu não roubo, mocinha — ele bateu na ponta do nariz dela — Só sou muito inteligente.
    Melanie o empurrou com o ombro.
    — Mamãe disse que rouba, sim.
    — Sua mãe é... — Liam piscou para mim e partiu em um ataque de cosquinhas para cima dela — uma grande fofoqueira.
    Os dois ficaram quase um minuto assim. Ele a atacando com dedos nervosos em sua barriga e Melanie implorando para que Liam parasse.
    Eu tinha um sorriso gigante no rosto ao observar os dois. A primeira vez que os vi juntos, no Let’s, notei que Liam tinha muito jeito com criança, e não acreditava que fosse apenas por Melanie ser uma menina especial.
    — Então, se você não se importar — Liam resolveu dar uma pausa à menina e voltou sua atenção para mim — Vou pedir pizza, Eva disse que volta a tempo de colocar Melanie na cama, depois podemos ensaiar.
    — Só me diz o que tenho que fazer.
    Melanie saltitou, comemorando. Sorri, contagiada pelo entusiasmo dela, e Liam me lançou um olhar profundo e impossível de decifrar.
    A noite seguiu na disputa de adivinhação. Liam, inteligentemente, ora dava vantagem à Melanie, ora passava na frente dela para que não desconfiasse que errava propositalmente. Em uma das rodadas, permiti que eu fosse vendada. Não era tão boa como os dois.
    As pizzas chegaram. Enquanto comíamos, Melanie pediu que nós brincássemos do jogo do “Se” —se você alguma coisa, o que a pessoa seguinte faria.
    — Se a Julienne fosse uma pera, o que você faria, Liam?
    Ele me encarou, mordeu um grande pedaço de pizza e mastigou lentamente.
    — Uma salada de frutas — ele disse — Já que não saberia fazer uma torta.
    — Eu gosto de salada de frutas — murmurou a menina, completamente alheia aos olhares que nós trocávamos.
    Desviei o olhar e fingi estar indecisa na escolha de outro pedaço de pizza, na espera de que Liam desse continuidade à brincadeira.
    — Se Melanie fosse uma pluma, o que faria com ela, Julienne?
    — Ah, essa é muito fácil — limpei os meus dedos no guardanapo — Usaria todas as noites para fazer cócegas nos pés de meninas sapecas.
    Como estávamos no chão, investi nos pés dela, então logo passamos a rolar pelo tapete.
    Nesse momento, meu telefone começou a tocar. Estava mais perto de Liam do que de mim. Ele me entregou, mas resolvi ignorar a mensagem.
    — Pode atender — disse ele, apontando o aparelho.
    — Ah, não é nada — decidi desligar — É uma mensagem de aniversário.
    — É seu aniversário hoje? — ele perguntou, incrédulo.
    — É, sim.
    —  Poxa, devíamos ter comprado bolo ao invés de pizza —  Melanie disse, em um tom pesaroso. 
    — Caramba, se eu soubesse... — ele parecia aborrecido — Não teria... você não precisava ter vindo. Certamente sairia com seus amigos.
    — Na realidade, não —  confessei ao apertar as bochechas de Melanie — Estaria em casa sozinha e estou me divertindo muito aqui.
    — Então feliz aniversário! —  Melanie gritou e Liam a acompanhou em seguida.   
    O jogo e as brincadeiras continuaram até a menina começar a bocejar. Vendo a apreensão de Liam, me ofereci para colocá-la na cama. Esperei que ela escovasse os dentes, ajudei na escolha do pijama e penteei seus cabelos enquanto conversávamos.
    — Se mamãe casasse de novo, eu poderia ter um irmãozinho, não é? Eu gostaria de ter.
    Pensei nos meus próprios irmãos e como teria sido minha infância sem eles.
    — Espero que sim — coloquei a escova sobre a cama e afastei as cobertas para que ela deitasse — Tenha bons sonhos, querida.
    Quando agachei para depositar um beijo carinhoso em sua testa, senti as mãozinhas fofas sobre meu rosto.
    — Mamãe disse que, quando eu fizer a cirurgia, vou voltar a ficar tão bonita quanto você — ela sussurrou, alisando meu rosto — Ela é bonita, não é mesmo, Liam?
    — Muito linda — ele murmurou, da porta.
    Senti o coração apertar. Era como se meu carinho por essa menina crescesse tanto que já não cabia em meu peito.
    — Você já é linda, Melanie — beijei cada lado de sua bochecha — A garotinha mais linda que eu já vi.
    Quando voltamos para a sala, eu ainda sentia que pisava em nuvens de algodão. Liam me achava linda e eu parecia uma garota boba com um enorme sorriso no rosto.
    Receosa que pudesse cometer qualquer coisa idiota e também porque precisava manter minhas mãos e cabeça concentradas em algo que não fosse o homem enigmático ao meu lado, comecei a recolher as caixas vazias e pratos do chão.
    Em poucos minutos, demos um jeito na sala. Estávamos saindo da cozinha quando Eva entrou.
    Como eu tinha feito ao chegar, apoiou-se contra a porta e tinha um sorriso sonhador em seu rosto. Ao notar que olhávamos para ela, empertigou-se, nervosa, e veio em nossa direção.
    — Desculpe, nós não percebemos o tempo passar — justificou-se pelo atraso — Melanie já está na cama, suponho?
    — Julienne a levou — Liam segurou minha mão e sorri para ele — Você mereceu cada minuto de diversão que teve, Eva. Não se sinta culpada por isso.
    — Liam tem razão — confirmei — E sempre que precisar, pode contar com nossa ajuda.
    Emocionada, ela escondeu o rosto entre as mãos. Respirei fundo. Essa tinha sido uma noite carregada de emoções.
    — Vocês nem ensaiaram.
    — Faremos isso amanhã — disse Liam, indo até nossos casacos sobre o sofá, e em nenhum momento soltou minha mão — Boa noite, Eva.
    Dei boa noite a ela e deixei que Liam me guiasse até o carro dele.
    Não conversamos muito durante o percurso até meu apartamento, acho que nem precisávamos. Havia uma aura entre nós, uma cumplicidade silenciosa, embalada pela voz maravilhosa de Elvis.
    — Tenho a sensação de que aprendi muito mais nessa noite, do que em minha vida inteira — confessei, quando o motor do carro foi desligado — Foi uma noite maravilhosa. Obrigada.
    — Você foi amável e atenciosa com a Melanie, hoje — ele buscou minha mão e a levou aos seus lábios — Acho que sou eu que tenho que agradecer.
    Era como se violinos tocassem em volta de mim, enquanto nos olhávamos. Não era apenas a atração física que sentia desde a primeira vez que coloquei os meus olhos neles. Eu tinha me apaixonado e nem percebi.
    Educada e galantemente, ele abriu o carro para que eu saltasse. Estremeci quando novamente abrigou minha mão na sua e me conduziu até a entrada do prédio.
    Estava tão nervosa como se fosse a primeira vez que seria beijada. Expectativa e ansiedade impediam que qualquer outro pensamento se formasse em minha cabeça.
    Amar era assim, perder completamente a racionalidade. Ter mariposas no estômago quando ele toca o seu rosto com delicadeza. Quando te olha como se não existisse mais nada de belo no mundo para admirar.  Era ter os lábios tocando os seus com a mesma delicadeza com que um beija-flor colhe o néctar. Minhas mariposas se multiplicaram dentro de mim quando o beijo ficou mais apaixonado.
    — Desejei isso a noite toda — igualmente sem fôlego, Liam colou a testa na minha — Não vou me desculpar dessa vez...
    — Mataria você se fizesse isso — sorri e impulsivamente voltei a beijá-lo. 
    E ficaria presa nesse beijo eternamente. Em seus braços, como um casulo, nessa bolha onde me sentia protegida.
    — Boa noite, Julienne — disse ele e se afastou, pesaroso.
    Meu breve momento de felicidade havia acabado. Mas eu ainda poderia sonhar com o paraíso.

    Nenhum presente de aniversário poderia ser tão encantador como aquele. 

    13 comentários :

    1. Maldade!!! Você nos acostuma com dois capítulos maravilhosos e depois coloca só um pra nos deixar com gostinho de quero mais!! Você anda muito má Elizabeth Bezerra!!!rsrs...Amei o capítulo de hoje, esperando maaaaaaaiiiisss!!!:*

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Hahahah meu Deus!!! Eu amo esse livro gente ❤️

        Excluir
    2. Amando tudo cada detalhe me deixa emocionada😻😘

      ResponderExcluir
    3. Só um capítulo...😣😣😣

      ResponderExcluir
    4. Estou amando o Liam e a Julienne 💓💓💓

      ResponderExcluir
    5. Elizabeth, quando sairá capítulos novos, estou em abstinência haha, sério, por favor capricha no capítulo bem enorme please, estou adorando!

      ResponderExcluir
    6. Elizabeth, está tudo bem? É que ja tem um tempinho que vocé não posta, espero que esteja tudo bem e estou aguardando ansiosa por mais Liam e Julienne

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Oi amor, estou bem, é que semana passada tive um evento pra ir e não consegui postar os capítulos.

        Excluir
      2. Este comentário foi removido pelo autor.

        Excluir
      3. Ohhh que bom que você está bem,fico feliz, à propósito eu adorei o ultimo capítulo postado, já me sinto anciosa por muito mais.

        Excluir

    Obrigada por seu comentário. Volte sempre!

    O Preço de um amor

    Book trailer - Seduzida

    BookTrailer