• Home
  • |
  • Sobre a Autora
  • |
  • Livros
  • |
  • Vídeos
  • |
  • Agenda
  • |
  • Parceiros
  • |
  • Contato
  • Além do Amor - Capítulo 8

    Capítulo 8


    “Um dos solteiros mais cobiçados da cidade parece ter encontrado um novo amor ou talvez reencontrado velho. Adam Crighton, um dos mais renomados advogados da cidade, foi visto ao lado de seu antigo caso amoroso, a linda, loira platinada e socialite, Amanda Dalson. Os pombinhos deixaram o restaurante em clima de romance, rumo a um destino desconhecido, mas sem dúvida regado de amor e claro, sexo, se levarmos em conta a vasta lista desse conhecido conquistador. Rumores diziam que ele esteve fora do mercado, mas como todas nós sabemos, feras como ele, não podem ser domadas. A Srta. Dalson certamente agradece isso. Resta-nos apenas sentir inveja. Isso é o que acontece em NYC.”
    Aline coloca o telefone em minha mesa para que confira com meus próprios olhos, o que ela acabou de ler.
     — A vida, não é mesmo justa, não é? — suspira ela fazendo bico. — Adam esteve tão perto de nós e escorregou pelos nossos dedos.
     Eu deveria simplesmente ignorar e continuar meu trabalho, mas mesmo contra minha vontade, meus olhos caem sobre o artigo.
    Isso não deveria me surpreender. E também não deveria machucar tanto como machuca.
    Observo Adam ao lado da loira bonita e sorridente. Na foto eles formam um bonito, mas ele não me parece feliz.
    Seria essa,a mulher que ele visita perto do meu prédio?
    Descarto a possibilidade. De acordo com a roupa e joias que estava usando, ela deve morar em algum apartamento de luxo na área mais nobre de Manhattan.
     — Por que está me mostrando isso?— estendo o aparelho para ela — Sabe que não gosto desses sites de fofocas. Nada disso me importa. E você não deveria perder tanto o seu tempo com porcarias como essa.
    Obviamente minha voz trêmula e meu olhar arrasado desmentem o que eu afirmo.
      — Life in NYC é o melhor site sobre os ricos e famosos da cidade. Como acha que vou conseguir um marido milionário se eu não ficar antenada em tudo o que acontece? — Aline suspira pegando o Smartphone de volta — Já que Adam está fora de circulação, acho que vou investir mais no Peter.
    — E eu vou voltar ao trabalho — fixo meu olhar na tela do computador — Não me deixará rica, mas certamente garante meu emprego.
    Espero que com isso ela tenha entendido que quero encerrar a conversa. 
     — Tem algum problema se eu sair mais cedo hoje? Preciso de um vestido novo para esse fim de semana. Foi convidada para a festa do Peter, não é?
     — Sim, eu fui.
    — Você vai?
    A pergunta ronda em minha cabeça mesmo depois de Aline sair.
    Impulsivamente pego meu telefone.
    — Max?
    Ouço sua voz surpresa do outro lado da linha. Desde o fiasco do último jantar, tenho evitado me encontrar com ele.
    — O que fará nesse fim de semana?
     — Pensei em visitar meus pais, mas a ideia me agrada menos a cada minuto.
    — Quer ir a uma festa comigo? — há mais sorriso em minha voz do que em meu próprio rosto.
    — Eu adoraria — responde ele.
    — Então, suba para pegar o convite e eu explico tudo. 
    Eu não vou passar o fim de semana em casa escondida como uma garotinha boba, nem lambendo minhas feridas como um animalzinho ferido. Se Adam está seguindo em frente eu farei o mesmo e terei grande prazer em esfregar isso na cara dele durante a festa.
    Eu tenho que virar a página.

    ****

     — Por que tinha que convidá-lo? — questiona Juliene pela décima vez só na última meia hora — Aliás, por que ainda olha na cara dele, Penelope?
     — Max e eu fomos noivos... — respondo antes de pagar o taxista e sair.
    Mesmo que eu tenha pedido outro convite a Peter para Juliene, minha prima ficou muito descontente ao saber que não apenas convidei Maxwell como dei a ele o convite que pertencia a ela, e para evitar causar mais tensão entre os dois, resolvi marcar de nos encontramos aqui.
    — E ele a abandonou na igreja, caso tenha esquecido — resmunga ela ao descer e se colocar ao meu lado na rua. — Traiu, fugiu com outra e...
    O assunto Max é esquecido quando nos deparamos com a linda mansão erguendo-se diante de nós.  Fica a meia hora da saída de New York, as arvores em volta dão um certo ar e isolamento.   
    Nos portões há duas esculturas de em mármore de leões rugindo. Um homem com cara de poucos amigos confere os convites e libera nossa entrada. Cada vez que nos aproximamos mais, noto que a casa é ainda mais bonita de perto.  É trabalhada em tijolos, ardósia e cobre e há um magnifico jardim inglês.
    — Caramba, isso é incrível — Juliene sussurra impressionada.
    O som da música alta nos recepciona assim que atravessamos o hall e noto que não há moveis ao redor, não pelo menos no cômodo onde estamos. Uma escada em forma de U dá acesso ao andar de cima. Observo que a sala é anexa a outro cômodo, que juntos formam uma ampla pista de dança, onde algumas pessoas parecem se divertir sob as luzes coloridas e com efeitos caleidoscópios.
     Há muitas pessoas circulando. Muitas mulheres como Peter disse que teria.  Meus olhos vagueiam da esquerda para a direita, observando cada detalhe. Na verdade, buscam o Adam, mas eu me recuso a admitir.
      — Pensei que vocês não viriam mais — Max toca meu braço e viro para encará-lo.
    Ele está muito bonito de jeans e camiseta branca. Os cabelos loiros penteados para trás, deixam seu rosto esculpido a mostra. Não tenho dúvida que ele poderia se sair bem com qualquer mulher disponível hoje, aliás, algumas passam por nós pouco se importando que ele esteja ao meu lado ao demonstrar interesse.
    Isso não me incomoda. Não da mesma forma que me sinto agora ao presenciar Adam do outro lado conversando com a mulher que reconheci da foto. Essa cena sim, me deixa insana.
    — Quer dançar? — falo alto o suficiente para que Max me ouça e indico a pista.
    — Vamos.
    Enquanto ele me conduz pela mão, eu tento controlar meu desejo de olhar para outro lado e ver o que Adam e a loira estão fazendo.
    A música é agita e eu agradeço. Não quero outras mãos tocando meu corpo de forma tão intima.
     Eu sorrio para Juliene que nos acompanhou e logo me vejo dançando e me divertindo muito, pelo menos é isso que tento transparecer.
    É engraçado ver minha prima empurrando Max para um grupo de garotas cada vez que a música troca a batida.
     —  Não há muitos homens aqui e ele está queimando nosso filme — resmunga ela quando colamos nossos corpos em um ritmo sensual. — Por que tinha que trazer esse inútil?
    — Max e eu somos amigos — sorrio para ele e tento me desculpar com o olhar.
    — Não. O que você quis foi fazer ciúmes — diz ela com um olhar divertido — E eu acho que conseguiu. O senhor confusão vem vindo...
    Antes que eu possa argumentar que ela esta sendo ridícula e que não sei de onde do que ela está falando, vejo-me ser arrastada para outra direção. Estou tão surpresa que nem ao menos consigo reagir, então deixo-me levar.
    — O que está fazendo? — Adam pergunta.
    Ouço a porta bater atrás dele e encontro o olhar furioso. Juliene estava certa eu quis mesmo provocar ciúmes. E parece que havia conseguido.
    — Eu estava dançando e você? — pergunto de um jeito provocativa. — É isso que se faz em uma festa.
    — Com ele? — Eu já o vi irritado algumas vezes, mas nesse momento vejo-o perto de perder o controle.
    Não entendo essa reação, não quando está acompanhado de outra mulher. Seu novo ou velho caso amoroso, como o tabloide disse. Essa constatação me deixa tão ou mais irritada que ele.
     Ciúmes é uma merda mesmo. É como se houvesse um bichinho descontrolado dentro de mim.
    — Não há muitas opções aqui essa noite — ironizo empinando o queixo — Todos os homens estão acompanhados, não é?
    Noto-o respirar fundo antes de olhar para mim.
    — Eu não vim com ela...
    — Não me importa com quem você veio! — minto.
    Afasto suas mãos de mim. Percebo que estamos em um banheiro e eu nem notei como chegamos aqui.
    — Saí da minha frente. Deixa-me sair — tento demonstrar uma determinação que na verdade eu não tenho. — Eu quero voltar para a festa.
    Ao invés de se afastar como eu pedi, assisto-o colar seu corpo ainda mais ao meu. Dou alguns passos para trás e sou seguida por ele. Passo a passo sou encurralada contra a porta de um dos boxes.
    — Tudo é por você — Adam murmura deslizando seu dedo em meus lábios. — Até mesmo essa festa ridícula.
    Eu poderia perguntar de que merda ele está falando. Mas seus lábios tomam os meus e é inevitável que todo o resto perca a importância.
    Já fiz mil juramentos e dezenas de promessas que seria imune a ele. Que meu coração não bateria tão forte em meu peito e que não sentiria como se meu estômago quisesse saltar pela boca. Que meu corpo não iria incendiar com o toque de suas mãos e que não o desejaria tanto como o desejo agora.
    Tudo isso imaginei em minhas noites solitárias e tristes. A realidade é outra.

    Eu deveria lembrar de como ele me feriu. Como meu coração ficou dilacerado, mas quando se ama alguém como eu o amo; razão e emoção transitam por caminhos diferentes. Você só recorda das coisas boas, as que a fizeram se apaixonar. Como esse beijo por exemplo.

    28 comentários :

    1. Adorei o capitulo! Vc consegue nos fazer sempre querer mais, Ficarmos ansisosas pelo proximo capitulo! No aguardo do 9!

      ResponderExcluir
    2. Oh papai cada dia mais confusão.... Adorooooo

      ResponderExcluir
    3. Tadinha da Penelope, o Adam está sendo muito cruel com ela. Autora, faz ele sofrer um pouco!
      Beijos e parabéns pela história.

      ResponderExcluir
    4. Ô Pê seja forte mulher, vc tem q fazer ele sofrer ( mesmo q eu saiba q ele faz tudo errado Pq te ama e a foto não quer dizer nada), mas vc não sabe! Então faz ele sofrer minha filha, não seja fácil, mesmo que ele seja gostoso, lindo, gostoso, cheiroso, gostoso, atencioso, gostoso, amável, já disse gostoso?

      ResponderExcluir
    5. Adorei... Quero mais, estou viciada rsrses

      ResponderExcluir
    6. Aim meu coração
      Adooooroo
      Louca aqui querendo mais

      ResponderExcluir
    7. Beth adoro ler . . . Adoro seus livros . . . São bons, muitos bons.
      Poderia fazer o final feliz desse livro loooongo??? Sinto falta dos finais felizes mais prolongados, é frustrante os mocinhos sofrerem tanto, para simplesmente acabar em duas linhas....

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Vanessa concordo com vc.
        Sofremos por 30 capítulos e somos felizes apenas em um.
        #movimento quero 10 capítulos de felicidade #.

        Excluir
    8. Lindo capítulo!!!!!!!
      Ansiosa por mais!!!!!
      Apoio a Vanessa 10 capítulos de felicidade!!!
      Parabéns!!!! Andreza Viude

      ResponderExcluir
    9. Vdd kkkkkkk Movimento #Quero10CapitulosDeFelicidade <3

      ResponderExcluir
    10. Amandooooo cada vez mais! Essa festa promete!!!!!

      ResponderExcluir
    11. Uma campanha pelo sofrimento de Adam!! E pelos capítulos a mais de felicidades!!! Kkkkk

      ResponderExcluir
    12. Ela tá ficando chatinha e muito repetitiva.... :(
      Antes de me crucificarem tenho direito a opinião. Parabéns pela historia espero que no próximo capítulo ele esclareça a ela a confusão toda

      ResponderExcluir
    13. Dói ver o sofrimento deles né?
      O Adam poderia fazer com q ela o escute de qq jeito, ai meu coração aperta toda vez q esses dois machucam um ao outro...queria prendê-los em um quarto ate os dois se entenderem...kkk
      Cada dia mais amo essa historia.

      ResponderExcluir
    14. Ai Beth no melhor acabou, quero mais, será que é dessa vez que virá bebê a bordo kkk, tomara, amo esses dois e o Adam ciumento é tudo, Espero que ele esclareça o mal entendido, amo essa história.

      ResponderExcluir
    15. Acompanho a serie por causa De NY
      Mas esse livro Infelizmente está ficando um chove e não molha muuuuito repetitivo

      ResponderExcluir
    16. Desculpa a sinceridade, mas esse livro está muito cansativo... Parece novela mexicana que só enrola e enrola... Eu em!

      ResponderExcluir
    17. Qdo a gente é apaixonada por alguem, perdemos totalmente o controle a um pno olhar, um toque....nossa!!! Arrepia a alma de tanto desejo....sei bem o que é isso.... a gente perde o chão....

      ResponderExcluir
    18. Estou sofrendo pelos dois cara :'(

      ResponderExcluir
    19. nossa beth que agonia louca para ler tudo e as unhas nem existe mais

      ResponderExcluir
    20. Ahhhhhh, não !!! Acabou? Quero mais, quero mais !!! Tomara que os dois, no próximo, se acertem. Adoro essa dupla, que é mais linda junta do que separada !!! Estou achando que Aline é que a traíra !!! ai, ai, ai...

      ResponderExcluir

    Obrigada por seu comentário. Volte sempre!

    O Preço de um amor

    Book trailer - Seduzida

    BookTrailer