• Home
  • |
  • Sobre a Autora
  • |
  • Livros
  • |
  • Vídeos
  • |
  • Agenda
  • |
  • Parceiros
  • |
  • Contato
  • O agente - Capítulo 10 e 11


    Capítulo 10


    Gisele Alencar

    Eu tive uma noite infernal, mas a pior parte já havia passado, pelo menos assim, eu acreditei. Encontrei minha mãe consciente em seu quarto de hospital. Ela alegou firmemente que só tinha exagerado nos comprimidos e não teve a intenção de se suicidar, preferi acreditar que ela dizia a verdade.
    Fizeram uma lavagem estomacal e o médico preferiu deixá-la em observação pelo resto da noite. Saímos bem cedo do hospital, pois mamãe alegava não suportar nem mais um minuto ali. Liguei para Rosana e pedi que nosso motorista viesse nos buscar. Ela nos esperava na porta e com um leve movimento de cabeça, respondeu a minha pergunta silenciosa se meu pai tinha retornado as ligações dela.
    Eu tinha ligado da recepção do hospital porque na presa de sair de casa, esqueci novamente o carregador do celular. Assim como Rosana, minhas tentativas de falar com papai foram frustradas.
    Onde ele teria se enfiado? Ou o pior. O que estava fazendo e com quem?
    — O Pedro irá te levar para o quarto — informo a minha mãe, assim que o motorista a tira da cadeira de rodas — Rosana deixou tudo preparado para recebê-la.

    O Agente - Capitulo 9




    Leonardo Ventura

    Eu tinha muitas coisas para pensar. As dúvidas sobre a carreira do meu pai e voltar à ativa investigando casos com Henrique. Na manhã seguinte ele me colocaria a par de todas as sujeiras que ele tinha descoberto com ajuda de Miguel, em volta do senador Luís Alencar. Sim, eu tinha muito que ocupar a minha mente. Mas assim que deixei Gisele no carro, boa parte da minha concentração e atenção estavam voltados para ela. A garota misteriosa que tinha passado o fim de semana comigo e que se fixava em minha cabeça como nenhuma outra tinha conseguido.
    Talvez fosse essa onda de mistério em torno dela que me mantivesse atraído. Afinal, tudo o que eu sabia sobre ela era primeiro nome, que me deixava louco na cama, que curtia coisas orientais e os pais passavam por uma crise.
    Não é verdade. Eu sabia que gostava do som da risada dela, do seu atrevimento, de como sabia dosar sensualidade e um sorriso doce. Eu gostava de conversar coisas sem importância. Sem dúvida alguma eu gostava muito de transar com ela, mas também gostava de ficar apenas na cama passando o tempo.
    Ou seja. Eu estava ferrado.
    Porque é impossível aceitar que esse poderia ter sido nosso último encontro. Nosso último momento juntos. Precisava ter um pouco mais. Descobrir cada segredo que tentava esconder de mim.
    Será que era casada ou tinha algum relacionamento?
    Porque era óbvio que Gisele estava ocultando alguma coisa.
    E eu já estava indo para a terceira tentativa de ligação para ela quando meu telefone tocou.
    — Leonardo?
    — Oi, Henrique.
    — Preciso que você fique pronto e uniformizado em meia hora — ele disse apressadamente — Recebemos uma ligação anônima de que Alencar pretende fugir do país. Vamos encurralar ele com o que temos. Deve ser suficiente. 

    O Agente - Capítulo 8



    Gisele Alencar



    Leonardo emprestou uma de suas camisas que mais parecia um vestido em mim, enquanto eu colocava as minhas roupas em sua lavadora. Eu saía da área de serviço quando ele surgiu vestindo apenas calça jeans, esfregando uma toalha nos cabelos. Como a área era pequena, ele teve que pressionar o quadril contra minha bunda para jogar a toalha molhada no cesto de roupas sujas.

    Eu recordei da nossa última hora no banheiro e meu corpo reagiu ao tê-lo tão perto. Esfreguei o pescoço e tentei regular a respiração. Senhor, eu estava me tornando uma mulher muito fácil e dada. Bastava que ele tocasse em mim e ficasse tão próximo, que minha mente se enchia de pensamentos sensuais. 

    Consegui passar por ele e fui em direção à cozinha. 

    — O que teremos para o café da manhã? 

    — Café — ele me mostrou às cápsulas e a cafeteira no balcão do armário como se apresentasse alguém — Mas se preferir tem suco e leite na geladeira, assim como manteiga, requeijão e geleia. Tem torradas e bolachas no armário. Sirva com o que quiser. 

    O Agente - Capítulo 7


                



    Leonardo Ventura

    Ela não vai fugir!

    Eu não iria deixar que Gisele saísse sorrateiramente. Não dessa vez. Não quando eu tinha tantas perguntas a fazer a ela. Não quando eu tinha passado a porra da noite toda em claro.

     — Acredito que esteja apenas indo ao banheiro — abro os olhos quando sinto a ondulação na cama aumentar — Ou sendo otimista, indo preparar o café da manhã para nós dois.

    Encaro Gisele, nua, os cabelos caindo nas costas, sentada no colchão em uma posição rija, costas tensas, dedos cravados no lençol, respiração acelerada. Ela estava mesmo pensando em escapar sorrateiramente outra vez?

    — Você não está fugindo... — coloco as mãos em seus ombros e num gesto rápido trago-a de volta para a cama, o corpo tenso por baixo do meu — Está?

    O Preço de um amor

    Book trailer - Seduzida

    BookTrailer Proibida